Cravo



Especiaria de natureza quente, aromático, picante e adstringente.

As árvores têm alma, como muitos povos já acreditavam. Algumas se tornaram sagradas: os carvalhos celtas, as figueiras romanas, os loureiros mediterrâneos, as gingobilobas dos chineses e os craveiros das Molucas.


No arquipélago do pacifico, quando estes florescem são tratados como mulheres grávidas: não se pode fazer barulho à sua volta, nem passar perto com luz ou fogo durante a noite ou aproximar-se com a cabeça coberta; à sua presença todos devem se portar com reverência. As precauções são tomadas para que não se assustem e deixem cair os frutos antes do tempo – como num parto prematuro. O cravo da índia é flor da delicadeza.


Na culinária é usada inteira ou em pó, acrescenta profundidade em pratos doces e salgados, oferece um sabor maravilhoso a tudo que toca. Sua infusão é boa para soluços e como antisséptico bucal, ótimo para bochechos, ainda possui propriedades analgésicas para quente estiver com dor de dente.

É uma das Seis Coisas Boas da medicina tibetana, atua no nervo vital.


Para saber mais, veja no livro "Viagem ao fabuloso mundo das especiarias", Rosa Nepomuceno.


Fotografia: K15 Photos

Destaques
Arquivos