O microbioma e os princípios e anatomia ayurvédica.

Artigo científico conectando os pontos entre o microbioma e os princípios e anatomia ayurvédica.





Temos cerca de 30 trilhões de bactérias no intestino. O microbioma intestinal participa de processos vitais, incluindo a digestão, a síntese de vitaminas, no desenvolvimento e regulação da função imunológica, entre outros. Além de contribuir para a produção de inúmeros outros compostos qua através do sangue são distribuídos aos órgãos e tecidos do corpo.


Além do microbioma intestinal, existem outras comunidades de microorganismos em todo o corpo. O pulmão, por exemplo, era considerado um órgão estéril, mas agora reconhecemos que ele tem seu próprio microbioma que se estende até a parte inferior do pulmão. Existe interlocução entre os microbiomas do pulmão e do intestino, o que pode ser relevante para pacientes com COVID 19 que apresentam sintomas gastrointestinais.


Quando o microbioma está em equilíbrio, ele contribui para muitos benefícios à saúde, mas, quando desequilibrado, pode causar problemas no intestino e em outras áreas do corpo. A disbiose, que é o desequilíbrio da flora intestinal, surge quando a delicada e elaborada ecologia das comunidades microbianas é perturbada por fatores internos ou externos. Um microbioma interrompido é caracterizado pelo crescimento excessivo de uma ou mais das diferentes colônias microbianas. Um microbioma desequilibrado tem sido associado a uma série de doenças gastrointestinais, incluindo a síndrome do intestino irritável (SII) e distúrbio inflamatório do intestino (DII). Condições como asma, atopia, obesidade infantil e espectro do autismo foram correlacionadas com o uso excessivo de antibióticos e uma alteração resultante no microbioma na infância. Outras doenças, como obesidade, doenças autoimunes, doenças cardiovasculares, câncer e doenças neurológicas, também foram associadas a alterações no microbioma.


Estudos mostram que a dieta pode alterar rapidamente a composição do microbioma.

Hipócrates, o pai da medicina ocidental moderna, é famoso por sua expressão "Todas as doenças começam no intestino". O Ayurveda dá grande importância a uma dieta e digestão adequadas, bem como a todos os aspectos do estilo de vida. Alguns pesquisadores consideram o Ayurveda a ciência ancestral da epigenética. O ayurveda reconhece que cada indivíduo tem sua própria constituição psicofisiológica única, que é afetada pela dieta, digestão, estilo de vida, controle do estresse e fatores ambientais.


Na figura os órgãos afetados pelo microbioma e a anatomia ayurvédica.



O ayurveda considera a comida um remédio. Recomenda o uso de especiarias e ervas para ajudar a criar e manter o equilíbrio na fisiologia e para tratar distúrbios específicos. Pesquisas recentes mostram que tanto o gengibre quanto a preparação à base de ervas chamada Triphala podem ter efeitos benéficos sobre o microbioma. Triphala consiste em três frutas: Emblica officinalis (Amalaki), Terminalia bellerica (Bibhitaki) e Terminaliachebula (Haritaki).


A medicina moderna reconhece a importância dos ritmos diários para a sua saúde e o Prêmio Nobel 2017 de Fisiologia e Medicina foi concedido à pesquisa na base genética dos ritmos biológicos. De bactérias a humanos, quase todas as formas de vida possuem um “relógio biológico” interno, que mantém um ritmo de aproximadamente 24 horas. O Ayurveda identifica claramente os ritmos diários e sazonais. A rotina diária é chamada dinacharya e a rotina sazonal é chamada ritucharya. As recomendações ayurvédicas de dietas específicas em horários específicos podem estar relacionadas aos ritmos sazonais do microbioma.


-------------------------


Artigo na íntegra (versão em inglês)


Destaques
Arquivos