Abacate e o outono


No outono, época seca, onde tudo resseca (folhas, ar, pele, articulações, sentidos e emoções), a natureza nos agracia com a presença do seu fruto mais lubrificante.



Abacate - Persea americana mil, tem origem na América Tropical.

Fruto de polpa cremosa que se assemelha a um creme amanteigado, composto basicamente de gorduras monoinsaturadas, sendo assim, importante fonte energética. Possui também, antioxidantes como a glutationa, diversas vitaminas, entre elas B5 (ácido pantotênico), B9 (ácido fólico), C e E; Minerais (potássio, fósforo, magnésio, cálcio) e fibras. Apesar de não ser rico em proteínas, apresenta quantidades superiores à maioria das frutas. O clima de cultivo e a variedade do abacateiro podem interferir na quantidade de nutrientes.


O uso do abacate é indicado como fator de proteção e para auxiliar o tratamento de doenças crônicas, em especial diabetes e alterações das gorduras do sangue, uma vez que contribui para a redução do colesterol total, de LDL (colesterol “ruim”)e dos triglicérides, além de aumentar o HDL (colesterol “bom”).


O abacate é rico em beta-sitosterol, substância que ajuda a modular a secreção do hormônio cortisol. O desequilíbrio na secreção do cortisol é um dos causadores da compulsão alimentar, do acúmulo de gorduras na região do abdômen e dos açúcares no sangue.


Possui, também, efeito antiviral, larvicida, antifúngico e no tratamento de doenças reumáticas e articulares.

Destaques
Arquivos